Juiz de Fora-MG  -  quinta, 19 de outubro de 2017  

Belmiro Braga




Igreja Matriz

Com a descoberta das minas de ouro, criou-se a Capitania do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. A capital da Capitania era o Rio de Janeiro.

Pelas dificuldades de transporte e para facilitar o fisco, transferiu-se a capital para São Paulo e criou-se a casa de Fundição de Taubaté. O tempo definiu a criação de um "Caminho Novo", percurso entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais, uma nova redefinição das linhas de forças dos fluxos comerciais e administrativos, impulsionando o desenvolvimento em terras fronteiras à Zona da Mata.

Belmiro Braga tem uma origem histórica comum a todos os antigos distritos de Juiz de Fora, ou seja, a abertura do "Caminho Novo". Com a denominação inicial de Vargem Grande, elevou-se a distrito em 1857, emancipando-se de Juiz de Fora em 1962, adotando o nome de Belmiro Braga, homenagem ao ilustre poeta mineiro que ali nasceu.

Conta a história que um dos mais antigos moradores da localidade foi o Guarda-Mor Mariano de Cerqueira Carneiro, originário de Portugal, que lá se estabeleceu iniciando o plantio de cereais. Posteriormente, requereu a sesmaria onde morava, adquirindo mais tarde, outras duas sesmarias. O arraial começou a povoar-se por volta de 1852. No local, existia a fazenda denominada Boa Vista, de propriedade de Joaquim Garcia de Oliveira, que mais tarde foi adquirida por Joana Claudina de Jesus, doadora para a criação do povoado de quatro alqueires de terra à Santana, hoje padroeira da cidade.

Outros moradores se radicaram à região, adquirindo terras e ali se fixando, na sua maioria portugueses ou descendentes. Mais tarde, também chegaram os italianos que muito contribuíram para o progresso do lugar.

Sua população atual de acordo com o censo 2010 é de 3.404 habitantes, possui uma área de 393km² e sua economia apoia-se na agricultura de subsistência e pecuária.

 

Fonte: IBGE

 

Tempo em Belmiro Braga:

Clique na imagem para mais detalhes

 


voltar

Compartilhe: